Início > Uncategorized > Justiça proíbe Pâmela Bório de fazer postagens sobre Ricardo.

Justiça proíbe Pâmela Bório de fazer postagens sobre Ricardo.

q1O juízo da 7ª Vara Cível de João Pessoa, José Célio de Lacerda Sá, acatou pedido do governador Ricardo Coutinho para que a ex-primeira-dama, Pâmela Bório, retire de suas páginas nas redes sociais como Instagram e Facebook todas as postas que tenham menção ao ex-marido. O descumprimento da decisão pode acarretar multa diária de R$ 1 mil, até um limite de R$ 50 mil.

Na decisão, o juiz entendeu que o governador comprovou o iminente perigo de dano, em virtude do que a continuidade dessas especulações maculadoras de sua pessoa e em razão da velocidade da circulação das informações nos meios cibernéticos acima citados (Facebook e Instagram) podem gerar graves e irreparáveis danos”.

Ricardo Coutinho acionou a Justiça no último dia 7 de julho. Em junho ele já havia entrado com uma outra ação, na 15ª Vara Cível da Capital, para que Pâmela se abstivesse de postar qualquer mensagem que guarde relação com o processo que envolve a guarda do filho do casal. Desde que teve a guarda controlada, Pamela tem usado o Instagram para manifestar sua insatisfação com as noites que passa longe da criança.

Na manhã desta quinta-feira (14), Pâmela Bório se despediu dos seguidores no Instagram e aproveitou para criticar a decisão da Justiça, que classificou de censura. “Até o final deste dias as minhas áginas abrigadas pelo Facebook (inclusive esta aqui no Instagram) serão retiradas por uma decisão local da Justiça da Paraíba movida pelo governador que ainda ousa ter a palavra “democracia” em seu vocabulário – só o termo, pois as atitudes são as mais abusivas, ditatoriais e monocráticas. Compartilhem, curtam, repercutam o máximo que puderem a instauração da censura nesta pequena unidade da federação brasileira onde fui obrigada a sofrer exclusão digital e podada nos meus direitos mais básicos garantidos pela constituição”.

Em outra postagem na redes social, Bório associa a decisão às acusações feitas por ela de que a morte do servidor Bruno Ernesto teria relação com o desvio de verbas no projeto Jampa Digital, na gestão de Ricardo Coutinho.

“É fato que tenho sofrido retaliação desde que repercuti sobre o Jampa Digital, escândalo nacional investigado pela Polícia Federal com inquérito instaurado e processo encaminhado ao Supremo Tribunal Federal e ao Superior Tribunal de Justiça, com comprovação da corrupção – nem vou falar para onde os desvios de dezenas de milhões de reais foram durante a campanha eleitoral de 2010 pois a PF já falou… Assim como nem vou falar sobre os outros casos citados em mais de dez AIJEs… Prefiro falar sobre o que diz respeito a mim. Continuarei contando cada noite sem meu filho (conteúdo ofensivo é o que leio em cada decisão judicial partida do governador contra a minha pessoa) e denunciando todo e qualquer abuso”.

Anúncios
Categorias:Uncategorized
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: