Início > Uncategorized > TCE referenda cautelar que suspende processo seletivo para contratações na Fundac.

TCE referenda cautelar que suspende processo seletivo para contratações na Fundac.

tceA 2ª Câmara do Tribunal de Contas da Paraíba, em sessão ordinária, nesta terça-feira (05), referendou, à unanimidade, a decisão singular assinada pelo conselheiro substituto, Antônio Cláudio Silva Santos, que suspende o edital da Fundac – Fundação do Desenvolvimento da Criança e do Adolescente “Alice de Almeida”, para contratação temporária por excepcional interesse público de 400 agentes socioeducativos, mediante entrevista e análise curricular. A solicitação foi feita pelo Ministério Público de Contas, por meio de Representação, com pedido para a concessão de medida cautelar.

Segundo o entendimento do relator, o pedido do MPC está fundamentado e alega que a função de Agente Socioeducativo é típica de Estado, perene, e, portanto, deve ser atribuída a cargo público, para provimento apenas através de regular concurso público. Reitera que o processo seletivo simplificado adotado no edital fere o princípio da impessoalidade e da moralidade administrativa, sendo composto apenas de análise curricular e de entrevista, sem previsão de critérios objetivos, transparentes e impessoais, quando à pontuação e avaliação.

A medida cautelar foi expedida com base no art. 195, § 1º, do Regimento Interno do TCE/PB, e determina a suspensão do edital nº 02/2016/SEAD/SEDH/FUNDAC, publicado no DOE em 23/06/2016, sob pena de cominações legais por descumprimento de decisão, com a fixação de um prazo de 15 dias aos responsáveis pelas respectivas pastas para apresentação de defesa. A decisão cautelar publicada do Diário Oficial Eletrônico do TCE, edição desta terça-feira, 05 de julho.

Inspeções – O colegiado julgou irregulares as despesas pagas pela prefeitura municipal de Pedras de Fogo, referente a obras na construção de creches, ampliação de escolas e pavimentação de ruas. O processo trata de inspeção especial realizada no exercício de 2013 e responsabiliza o gestor, Derivaldo Romão dos Santos, pela quantia de R$ 642 mil. A Câmara também imputou débito ao ex-gestor José Francisco Régis, equivalente ao montante de R$ 135 mil, decorrentes de despesas com obras públicas realizadas pela Prefeitura de Cabedelo, conforme o processo 11146/11. Das decisões cabem recursos.

A Segunda Câmara Deliberativa do TCE realiza sessões às terças-feiras, às 9h, no Auditório Conselheiro Adailton Coelho Costa. É presidida pelo conselheiro Arnóbio Alves Viana e nesta sessão funcionou com a participação dos conselheiros que integram o colegiado, Antônio Nominando Diniz, Antonio Cláudio Silva Santos (substituto) e Oscar Mamede Santiago Melo (substituto). Pelo Ministério Público de Contas atuou o procurador Bradson Tibério Luna Camelo.

Ascom/TCE-PB – 05.07.2016

Anúncios
Categorias:Uncategorized
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: